29 outubro 2008

TGV?... e o Pendular?

José Sócrates, na sua recente entrevista disse: “Quais são os projectos de que devemos desistir? Do TGV, da alta velocidade? Acho que o País precisa da alta velocidade!”

Relembro o seguinte: há alguns anos atrás, começou a ser feito um grande investimento no Pendular. Comboio que pode ultrapassar os 200 km/h. Compraram-se os comboios, investiu-se na melhoria das linhas e das estações, foram gastos milhões de euros !

Com estas melhorias, no percurso Faro-Lisboa-Braga (percurso mais longo) que tem a duração de aproximadamente 6 horas, o Pendular consegue ultrapassar os 200 km/h em cerca de 1/6 do tempo ! No restante percurso, anda com velocidades médias de 100 km/h.

Devemos então deitar fora este investimento de milhões de euros? Ou devemos continuar o investimento já iniciado (que sempre ficaria mais barato do que o projecto TGV) para que o Pendular possa atingir a sua máxima performance?

Países com dimensão média, como a Itália (onde se chama Pendolino), a Grã-Bretanha, a Republica Checa ou a Suécia (com o nome de X2000) seguiram por esse via e adoptaram comboios deste tipo !

Como podem ver aqui a maioria das linhas na Europa, tem capacidade inferior a 300 km/h. Porque isso só faz mesmo sentido em percursos grandes, como por exemplo atravessar toda a França ou toda a Espanha. Nem a Alemanha tem vias com capacidade superior a 300 km/h !

1 comentário:

AP disse...

Sempre fui a favor da solução do Pendular, tendo em conta a dimensão do nosso país.
Estamos a passar do 8 para o 80?! Temos linhas obsoletas (veja-se o acidente no Tua), comboios velhos e ultrapassados e de repente avançamos para o TGV? Sob qualquer ponto de vista não faz sentido!
E quem vai ter poder de compra para viajar no TGV? Além do custo da obra, quais os custos de exploração e manutenção dos equipamentos e linhas? Qual o prazo do retorno do investimento?
Demasiadas perguntas sem resposta...