28 outubro 2008

Agora não posso...

Cavaco Silva voltou a vetar, e bem, o estatuto político dos Açores. O PR justificou dizendo ser "perigoso para o princípio fundamental da separação e interdependência de poderes aceitar o precedente de, por lei ordinária, se vir a impor obrigações e limites às competências dos órgãos de soberania".

Cavaco acrescenta que "A AR procedeu a uma inexplicável autolimitação dos seus poderes", a fazer aprovar um artigo pelo qual o AR só poderá rever o estatuto nas normas que o Parlamento açoriano previamente autorizar.

Quando questionado pelos jornalistas, Sócrates respondeu: "não posso pronunciar-me". Ou seja, nada de novo. Tal como já nos habituou, Sócrates foge ás questões, sempre que estas embaraçam o Governo e o PS.

Faz-me lembrar esta sátira dos Gato Fedorento.

2 comentários:

AP disse...

"Fugir com o rabo à seringa" é a estratégia dos cobardes. Dar o corpo ao manifesto é qualidade de gente séria, bem como assumir falhanços, derrotas e erros é sinal de sabedoria, coisa que não abunda em Sócrates, pessoa adepta do caminho mais fácil, mas nem sempre o melhor.

Luis Melo disse...

Ora nem mais AP,

Quando as coisas "dão para o torto" desaparece Sócrates de cena, e aparecem Vitalino Canas, Augusto Santos Silva, ou Alberto Martins.