12 março 2009

O arranque do PSD e Ferreira Leite

O PSD e Manuela Ferreira Leite (MFL) arrancaram definitivamente para o ano de combate eleitoral. E fizeram-no com um ataque forte ao Governo "arrogante" e "incompetente". Adjectivos com os quais já todos os portugueses concordam ser os melhores para caracterizar este executivo.

MFL anunciou que apresentaria ao povo português, um programa de governo á sua imagem: com verdade, rigor e seriedade. Todas elas, características que fogem muito do perfil do actual executivo socialista. A verdade é que só assim, com rigor, exigência, seriedade, honestidade, competência, sentido de missão, é que seremos capazes de tirar Portugal do “buraco” em que se encontra (crescente desemprego e endividamento externo, que já atingiu os 100% PIB).

Situação essa que é da inteira responsabilidade do actual Governo. Para quem ainda tem dúvidas disso, MFL perguntou, e bem: "Como é que o Governo nos pode fazer crer que não tem responsabilidades quando teve, entre 2004 e 2007, uma maioria absoluta, a cooperação do PR e a Europa a crescer?"

O facto é que Sócrates apenas criou um “polvo”. Um estado balofo e sectário, que controla tudo e todos. Um governo que entrou em conflito com funcionários públicos, professores, policias, militares, juízes, profissionais de saúde e agricultores. Um executivo que se intrometeu em todo o tipo de negócios, tirando a liberdade saudável ao mercado. MFL quer um Estado magro, mas forte, tal como existe nos países mais desenvolvidos.

Para piorar a situação de um país que deixou de crescer, Sócrates quer ainda levar para a frente, o que MFL chama de: "um conjunto de projectos megalómanos que vão conduzir o País ao empobrecimento". O maior exemplo disso é o TGV, obra que nos vai endividar mais ainda (a dívida já atingiu 100% PIB, como é possível?!)

A conclusão que tiramos destes 4 anos só pode mesmo ser a de MFL: "Portugal tem vivido numa espécie de longo intervalo publicitário". Realmente, a verdade é que este Governo não tomou nenhuma decisão que alterasse o sentido das coisas para melhor, não implementou nenhuma reforma. Apenas se preocupou em preencher todos os lugares de controlo, e em manter o poder através da imagem.

1 comentário:

pedro oliveira disse...

Um intervalo publicitário"obcesno" e que passa sempre em horário nobre.Onde anda ERC?