25 janeiro 2009

Explicações precisam-se

Nuno Monteiro: "O meu pai facilitou, de facto, o encontro entre o sr. Charles Smith e o nosso primo que era Ministro do Ambiente" [...] "O meu irmão (Hugo Monteiro) tinha uma agência de publicidade e escreveu (a Charles Smith) a pedir para o considerarem para a campanha publicitária"

Mas afinal quem quer tramar Sócrates? Quem quer, nas suas palavras, atingir a sua honra e dignidade? É a sua própria família, pelo que parece. Nuno e Hugo Monteiro têm muitas explicações a dar.

A agência britânica Serious Fraud Office disse que existiram transferências de milhões de euros, da sede do grupo Freeport com destino a Portugal. E detectou que parte desse dinheiro foi passado por off-shores controlados pela ISA, empresa de Júlio Monteiro (tio de sócrates)

Há, neste caso, alguém que recebeu luvas. E para isso, é porque houve favores em troca. Quem recebeu? quem fez favores? Júlio Monteiro, o tio de Sócrates, tem muitas explicações a dar.

Uma ex-secretária da Smith & Pedro declarou em 2005 á polícia, ter ouvido Manuel Pedro dizer "O Sócrates já tem os 400 Mil e os outros 100 Mil sabe-se lá quem os recebeu". Em 2007 alterou o depoimento dizendo que não ouviu o nome de Sócrates.

Coincidência a senhora ter falado num nome, e passado dois anos, ter retirado esse nome, que por acaso, nessa altura, era Primeiro-Ministro. Esta senhora tem muitas explicações a dar.

Smith aparece numa gravação vídeo descrita pelo jornal Sol, a garantir que subornou um ministro português.

Charles Smith anda desaparecido, mas há-de aparecer. E quando o fizer, terá muitas explicações a dar.

Um decreto-lei decisivo para a construção do Freeport foi aprovado pelo governo de gestão a 3 dias de saír de cena. O estudo de impacte ambiental do outlet foi chumbado duas vezes para depois ter luz verde em tempo recorde.

Só por si, esta aprovação-relâmpago do projecto, deixa algumas dúvidas e levanta algumas suspeitas. José Sócrates tem assim muitas explicações para dar.

5 comentários:

Anónimo disse...

Aconselho vivamente que leiam os comentários nestes link's.
Cordiais saudações para o administrador do blogg e seus leitores.
Carlos Santos, Porto

http://portugalcontemporaneo.blogspot.com/2009/01/os-ingleses.html

http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000009-0000-0000-0000-000000000009&contentid=02CDFBDA-4A49-4CED-8E6D-87500E627D2D

http://news.yahoo.com/s/afp/20090124/wl_uk_afp/portugalbritainpoliticscorruption

http://www.javno.com/en/world/clanak.php?id=227673

http://pedroarrojagrupofinanceiro.blogspot.com/2009/01/yield-spread-vs-german-bond_22.html

Anónimo disse...

Tanta gente e tantas explicações a dar...

Este é mais um caso para meter na gaveta ou no saco, junto de todos aqueles que por mais provas ou nomes que se tenha, acaba sempre da mesma maneira...em nada!

Este é o país que temos...onde tudo acontece, mas onde nunca há culpados e se os há é porque foram tramados por alguém...

Enfim!

Beijinho,
teresa

pedro oliveira disse...

Mais um caso à Portuguesa, já percebemos porque agora é tudo PIN.Assim não há mais coisas squisitas.

Anónimo disse...

Atenção que não existem quaisquer provas que incriminem o PM.
Enquanto não for detectada qualquer transferencia de dinheiro para a sua conta ou dos seus próximos não pode ser incriminado.
Agora o PSD regojizar-se por o PM poder vir a ser atingido por este escandalo é porque não tem mais argumentos para poder subir nas sondagens.
Para alem do mais com tantos ex-dirigentes suspeitos de jogos de influencia e corrupção.

Cumprimentos
Carlos Ornelas

Luis Melo disse...

Caro Carlos,

Ninguém aqui neste blogue falou em provas. Houve cuidado para não acusar ninguém. Ninguém foi incriminado. Apenas explicações foram pedidas.

Quanto ao PSD, não vi ninguem regozijar-se por esta questão vir a público. Muito pelo contrário, MFL deu ordens para ninguém falar no caso.

O Carlos deve estar equivocado. Não devia ser aqui que queria fazer esse comentário.

Seja bem vindo, e espero que volte mais vezes.