26 junho 2009

Morreu uma lenda

Michael Jackson morreu. É escusado adjectivar mais a sua carreira e o seu legado. Tudo já terá sido dito em jornais, TVs, etc.

Apenas recordar aqui o magnífico concerto em Alvalade em 1992 (ano e local em que também vi o espectacular Elton John). Como já disse várias vezes, foi o melhor concerto a que assisti até hoje.

Coroado com um final em grande, em que Jackson (ou um duplo concerteza) saiu do palco sobrevoando a bancada em que me encontrava, qual Rocketeer. Único, fabuloso, inesquecível.

3 comentários:

Daniel Geraldes disse...

Acho que já temos um novo Elvis, pelo menos as vendas na Amazon e Ebay de artigos do Michael Jackson disparam.

Aparte disso, foi sem duvida um grande entertainer.

Daniel Santos disse...

grande artista e compositor.

Dylan disse...

Uma criança num corpo de um adulto. Era assim Michael Jackson. A sua candura contrastava com a atitude arrebatadora que exibia em palco, uma espécie de predestinado com um talento invulgar e que enfeitiçava todas as gerações. A educação rígida traçou-lhe o futuro mas sonegou-lhe a infância, enquanto o seu direito de viver recatado era ameaçado à medida que os holofotes da fama acompanhavam o seu crescimento. Pulverizou recordes de vendas mas também era o primeiro a dizer presente às causas humanitárias onde terá doado milhões de dólares. A sua timidez, e porque não dizer a sua extravagância, originavam todos os tipos de rumores, nunca provados.
Goste-se ou não do estilo, revolucionou o mundo do entretenimento artístico e musical impulsionando de vez o respeito e o reconhecimento pela cultura negra.

http://dylans.blogs.sapo.pt/